Tag Archives: Bienal dos Piores Poemas

Tuberiforme

A primeira vez que vi Tereza
Não soube se era homem ou mulher
Não parecia um ou outro
Mas um boizim de batata
Esbarrei com ela de novo, na rua
Andamos uns dez quarteirões falando de tudo
Logo uma coisa vibrou me dizendo
Que aquele armário normando com pernas de gente
Tinha recheio de nutella
California Sea LionAnos mais tarde pensei nela
Vendo os leões marinhos, latejantes, se esbaterem em borrifos
No Píer 41 em São Francisco

* * *

(Este poemeto mandei para a 6a Bienal dos Piores Poemas, da Oficcina Multimédia. Não ganhou nem menção desonrosa, mas me deu enorme prazer escrevê-lo.)

Advertisements